Espetáculo : LO ÚNICO QUE NECESITA UNA GRAN ACTRIZ, ES UNA GRAN OBRA Y LAS GANAS DE TRIUNFAR (MÉXICO) Grupo: VACA 35 TEATRO EN GRUPO/México

Casarão das Artes
Dias 07, 08 e 09/09 - 19h
Travessa Tiradentes 121 – Comunidade do Pilar, Bairro do Recife
(Rua em frente ao Museu Cais do Sertão e ao lado da Receita federal)
Informações: (81)3097-5268

Preço do Ingresso: pague quanto puder e achar que vale!
Indicação Etária: 18 ANOS
Duração: 50 min
*Legendado em português

Ingressos no local/Vendidos 1h antes/Lugares limitados

Saudada pela crítica pela grande sensibilidade, onde convivem humor, violência e ternura, a encenação se inspira na obra As Criadas e em uma frase de Querelle de Brest – “A humildade só pode nascer da humilhação, se não é falsa arrogância” – ambas de Jean Genet, a montagem do grupo mexicano é uma criação coletiva que não recorre a um tempo ou estilo determinados. A proposta é que o diálogo entre o espaço e as atrizes se dê com a mínima estrutura.

O espetáculo busca através de temais universais investigar as questões Genetianas com base na atuação, no teatro como única saída aparente, como a comida, a bebida, a dança ou algum conto de fadas que nos afaste um pouco, ou que nos aproxime da devastação dos estereótipos sociais, da marginalização e da falta de possibilidades de algum tipo de expiação.

Ficha Técnica:

Direção: Damián Cervantes
Elenco: Diana Magallón García / Mari Carmen Ruiz Benjumeda
Produção: José Rafael Flores
Direção técnica: Alejandro Paz
Adaptação, cenografia, iluminação e figurino: Vaca 35 Teatro

Sobre o Grupo: VACA 35 TEATRO EN GRUPO – Coletivo de atores e atrizes que já criou coletivamente oito trabalhos, viajou por diversos festivais nacionais e internacionais e obteve o reconhecimento da crítica. O grupo trabalha em montagens e investigações cênicas e laboratórios.

"Proyecto apoyado por el Fondo Nacional para la Cultura y las Artes"

CAMBIO: diálogo entre o Teatro e a Cidade

Nos pilares desta comunidade, as barreiras geográficas e linguisticas são derrubadas! Coração da cidade do Recife, encontra em seus jovens, a consciência artística e política para o empoderamento social.

COMUNIDADE DO PILAR

Tecido urbano, omoplata e coração do Recife Antigo, de camadas de solo e aterramento
no sítio arqueológico rico do país, arrodeado por águas do rio Capibaribe e do Oceano Atlântico.
Nas águas que enxarcam os rochedos dos arrecifes é que está localizada a Comunidade do Pilar.
Não à toa, a maresia corrosiva prega nos prédios antigos tombados e desocupados.
E nessas estruturas das arcadas abandonadas dos armazéns de especiarias, pessoas ali fincaram Pilares.

Há mais de vastos 70 anos. Não somente elxs.
Não para si. Mas que o próprio lombo do bairro do Recife Antigo e fora de portas, acolhem por perfil e vocação para moradia e transição de pessoas cultivando suas casas e cultura.

Tom Jobim que ali esteve em intuição
cantarola na canção O Boto: " Ainda ontem vim de lá do Pilar, ainda ontem vim de lá do Pilar com vontade de ir por aí..."

E hoje e amanhã
Moradoras e moradores semeam lares e suas crianças, e aqui vivem
Sendo memórias vivas e em desenvolvimento.

Comédias e trágicas, não diferente
Como se bem ou mal vive no restante do país do golpe.com

Mas é no Pilar Comunidade, é que deseja sustentabilidade
Saúde e principalmente a Arte-Educação.
Para um povoado de 1.500 pessoas e algumas árvores que ali existem, limitados por dutos entupidos nessa ilha tropical, especial entre o mar e o rio.
Dia e noite.

Atravesse! Alguma das quatro pontes e siga pela rua do Teatro Apolo. Em frente, caminhe até a rua de trilhos e paralelepípedos, dobre até os grandes silos caramelos e avistará a sementeira
O Casarão das Artes

A Capela Nossa Senhora do Pilar, muros de fábricas obsoletas e colagens de madeira das arquiteturas de barracos e prédios dxs protagonistxs de anos de resistência. Moradorxs do Pilar, no Recife Antigo, noite e dia.
Cheguem cá para um chá ou suco de cajá.
Para visitar uma terra do meio, de pessoas, de diversidade.

Comunidade é arena cruzada com o palco da vida!
Onde todos e todas elaboram para a alma não ser pequenina.
E Viver!
Sem sofrer! Cicatrizar.

Oportunizar com criatividade e integridade em coletivo de dentro pra fora e mundo a fora. Viva a Comunidade do Pilar!
Ayla de Oliveira